sábado, 25 de fevereiro de 2012

Lagosta gigante é pescada nos EUA

Crustáceo tem 12,2 kg e 1 metro de comprimento. Pescado na costa do estado do Maine, ele foi batizado de Rocky.

Foto: Maine State Aquarium/AP

Aimee Hayden-Rodriques, do aquário do estado americano do Maine, posa com lagosta de 12,2 quilos e 1 metro de comprimento. Ela foi pescada por Robert Malone, próximo à cidade de Rockland, em 17 de fevereiro. O crustáceo foi apelidado de Rocky.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Coral invasor é localizado na Ilha do Arvoredo

O coral-sol cresce muito rápido e inibe o crescimento de outras espécies.


O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) com apoio da equipe do Departamento de Ecologia e Zoologia da Universidade Federal de Santa Catarina, alunos de mestrado e da graduação, fez uma excursão para remover aproximadamente 50 colônias do coral-sol na costa da Ilha do Arvoredo, ao norte da Ilha de Santa Catarina. A excursão teve como objetivo impedir que o coral originário do oceano índico e do pacífico se fixe definitivamente na região.

— A remoção de uma espécie invasora só é viável no início. Esse tipo de coral cresce muito rápido e toma o lugar esponjas, algas, que ficam sem espaço para crescer e se desenvolver. Como ele é originário do oceano índico, e lá existem entre 500 e 600 espécies de coral, ele se tornou extremamente competitivo. No Brasil nós temos apenas 20 tipos de coral e apenas um em Santa Catarina — afirma o professor Alberto Lindner, do Departamento de Ecologia e Zoologia da UFSC.

Apesar da remoção ter sido realizada com sucesso nos dias 16 e 17 de fevereiro, novos focos do coral Tubastraea coccinea já foram localizados por mergulhadores e serão investigados e possivelmente removidos.

— Ou a gente toma essa atitude agora ou espera 10, 15 anos e vai lidar com os problemas que surgirem — diz o professor.

O coral-sol é uma espécie animal que foi localizada pela primeira vez na América na década de 50, ao sul dos Estados Unidos. Ele foi se espalhando pela costa e chegou ao Brasil na década de 80, quando foi localizado em plataformas petrolíferas no Rio de Janeiro. Atualmente ele já infestou o litoral do Rio e de São Paulo.


Fonte: http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2012/02/coral-invasor-e-localizado-na-ilha-do-arvoredo-3673420.html

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Tartaruga cabeçuda de 96 cm é encontrada morta em Jurerê Tradicional, em Florianópolis

Mais uma tartaruga foi encontrada nas areias do Litoral de Santa Catarina. Desta vez o animal já estava morto, e foi enterrado na praia de Jurerê Tradicional, em Florianópolis, por equipes do projeto Tamar, no início da tarde desta quinta-feira. Com 96 cm e aproximadamente 100Kg, a tartaruga adulta da espécie cabeçuda foi a 18ª a ser registrada pelo projeto Tamar no Litoral Catarinense neste ano.

— A tartaruga, que aparentava ser fêmea, devia estar morta há cerca de cinco dias. Por isso, devido ao avançado estado de decomposição, não tivemos como descobrir o motivo da morte, mas as causas mais comuns são redes de pesca, onde os animais ficam presos; colisão com embarcações e doenças pulmonares — explica o coordenador do Projeto Tamar em SC, Gustavo Stahelin.

A tartaruga chamou a atenção de moradores que passavam na praia por conta do seu grande tamanho, além de estar inchada e com sangramento. O animal já estava encalhado desde o fim da tarde de quarta-feira em Jurerê Tradicional, conforme informações repassadas pela Companhia Melhoramentos da Capital (Comcap) — responsável pela coleta de lixo em Florianópolis — ao projeto Tamar.

Espécie Cabeçuda é a segunda mais comum no Estado

Somente neste ano, o projeto Tamar registrou 18 tartarugas — entre vivas e mortas —no Litoral Catarinense. Dessas, três eram da espécie Cabeçuda e 15 eram tartarugas verdes. No entanto, Stahelin garante que o número é ainda maior.

— Com certeza os números são maiores do que os registrados pelo Tamar. No Norte e no Sul do Estado, por exemplo, há mais ocorrências do que na Grande Florianópolis, mas muitas vezes não ficamos sabendo, pois existem outros órgãos que cuidam de tartarugas. Além disso, quando o animal é pequeno e já está morto, muitas vezes os próprios moradores acabam enterrando — afirma Stahelin.

No ano passado, o Projeto Tamar registrou 120 tartarugas nas praias catarinenses, sendo oito cabeçudas, três tartarugas-de-pente e 109 tartarugas verdes.

— A tartaruga verde é a mais comum de ser encontrada porque vive próximo da costa praticamente durante todo o ciclo de vida. Já as cabeçudas, segunda espécie mais comum no Estado, costumam nadar em mar aberto quando são jovens, e só se aproximam da costa na fase adulta.

O que fazer ao encontrar uma tartaruga

Quem encontrar uma tartaruga na praia deve contatar o projeto Tamar pelo número (48) 3236 2015, para que uma equipe vá até o local e avalie a situação do animal.

— Se estiver vivo, podemos cuidar da tartaruga até que ela se recupere e possa ser devolvida ao mar. Se estiver morta também recomendamos procurar o Tamar, pois se o óbito tiver ocorrido há pouco tempo podemos fazer necrópsia e descobrir as causas da morte do animal — explica Stahelin.


quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Tubarão-elefante é o segundo maior peixe do mundo

O tubarão-elefante é o segundo maior peixe do mundo. Ele pode atingir 10 metros de comprimento. Apesar deste tamanho assustador, ele não apresenta ameaça para os seres humanos e pode até ser domado por eles.
Foto: Greg Skomal
A alimentação do tubarão-elefante consiste basicamente em ovos de peixes, filhotes de peixes e plânctons. O interessante deste peixe é que ele consegue armazenar comida em seu estômago, portanto não precisa procurar alimento incessantemente.

O animal atinge a maturidade entre 2 e 4 anos de idade. O macho e a fêmea se acasalam no verão perto das praias no norte da Europa. A gestação para o nascimento de 1 ou 2 filhotes pode demorar até 3 anos.
Foto: Wiikipédia
O tubarão-elefante pesa em média 5 toneladas, porém um exemplar já foi encontrado no Canadá com até 19 toneladas.
Fonte:  http://www.canalazultv.com.br/redeambiente/novidade.asp?id_CON=567

Passarela da Ponte Pedro Ivo Campos

Olá pessoal!

Passados alguns meses sem pescar da passarela da Ponte Pedro Ivo Campos, que liga a ilha ao continente, na semana passada resolvi dar uma volta e ver se algo havia mudado, afinal em 03/06/2011 o jornal Hora de SC  publicou a matéria “Passarela da Ponte Pedro Ivo Campos, em Florianópolis, será recuperada”, matéria completa.
Chegando ao local, encontrei várias pessoas pescando, a maioria com Camarão vivo (como manter o camarão vivo), falaram que estava fraco, mas já haviam pescado 2 Corvinas.



As melhorias chegaram! Colocaram uma proteção em cima do parapeito que já existia e a câmera de vigilância também está lá e não lembro de ter visto alteração na rampa de acesso.
Mas a melhor parte é a que o projeto contou até uma cortina de água em dias de chuva (foto abaixo), olhem que lindo!


Está bem melhor que antes em termos de segurança, mas já deixaram algo para abrir um novo projeto de recuperação.
Até a próxima!

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Oito orcas são avistadas no litoral de Santa Catarina próximo a Bombinhas e Florianópolis

Operadoras de mergulho que faziam o passeio no Norte de Florianópolis avistaram exemplares do golfinho

Foto: Vanuza Borges / Patadacobra Escola
Pelo menos oito orcas foram avistadas no litoral de Santa Catarina nesta semana entre o litoral de Bombinhas, Norte de Florianópolis e a Ilha do Arvoredo. Os animais, conhecidos popularmente no cinema como "baleias-assassinas", são na verdade da família dos golfinhos e surpreenderam os mergulhadores ao aparecer em uma região de águas quentes.

Confira a matéria completa e fotos aqui.

Sobre as Orcas
Ocorrência: Ocorre em todo o mundo, da linha do Equador às calotas polares.
Peso e comprimento: Fêmeas pesam até sete toneladas. Os machos chegam aos 10 mil quilos quando adultos. Medem entre 8,5 metros e 10 metros.
Características: Costuma viver em cardumes de 3 a 25 animais. Alimenta-se de aves e outros peixes, inclusive baleias, condição que contribui para o estereótipo da espécie no mundo.
Reprodução: gestação de 12 a 16 meses. Filhotes costumam nascer entre outubro e março.

Curiosidade: Costuma viver em grupos sociais estáveis, ao contrário de outras espécies. Filhotes e adultas permanecem unidas por praticamente toda a vida. No caso das baleias-franca, por exemplo, mãe e filhotes ficam juntos por no máximo um ano.
Fonte: Bióloga Karina Groch

Fonte: http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2012/02/oito-orcas-sao-avistadas-no-litoral-de-santa-catarina-proximo-a-bombinhas-e-florianopolis-3658736.html

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Exemplar de tubarão-baleia com sete toneladas é encontrado no Paquistão

Animal foi achado morto nesta terça-feira próximo à cidade de Karachi.
Curiosos foram até porto para ver peixe com 12 metros de comprimento.


(Foto: Asif Hassan/AFP)
Um exemplar de tubarão-baleia (Rhincodon typu) com 12 metros de comprimento e pesando cerca de sete toneladas foi encontrado por pescadores na região Karachi, no Paquistão. Um guindaste foi utilizado para retirar o animal da água nesta terça-feira (7).

O peixe -- maior espécie conhecida -- foi encontrado morto no Mar da Arábia, próximo ao porto de Karachi. A exposição do corpo atraiu uma multidão de curiosos ao local

A espécie costuma viver em mares quentes e pode chegar a medir até 20 metros e pesar 13 toneladas. Identificado em 1828, o tubarão-baleia se alimenta de plâncton, macro-algas, além de invertebrados e pequenos polvos.
População da cidade de Karachi se aproxima de tubarão-baleia encontrado na região (Foto: Asif Hassan/AFP)
Segundo a União Internacional para Conservação da Natureza (IUCN, sigla em inglês), este animal é classificado como vulnerável na natureza.

Fonte: http://g1.globo.com/natureza/noticia/2012/02/exemplar-de-tubarao-baleia-com-sete-toneladas-e-encontrado-no-paquistao.html

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

13º Festival Nacional do Camarão

Evento começou nesta quinta-feira em Imbituba e espera receber mais de 50 mil pessoas.


Começou nesta quinta-feira, às 20 horas, em Imbituba o 13º Festival Nacional do Camarão. O evento, que vai até domingo, vai contar com estandes onde restaurantes e estabelecimentos tradicionais da região da Praia do Rosa e de Imbituba vão servir pratos à base de camarão. Além disso, o público vai poder acompanhar os shows de Cláudia Leite, Cidado Negra e Luan Santana.

A indústria e o turismo estarão representados na feira multi-setorial, onde serão apresentadas ideias e iniciativas. Os estandes ficarão abertos nos quatro dias das 19 horas até a meia-noite. Já a praça de alimentação vai funcionar das 19 horas até o término dos shows nacionais na quinta e na sexta, no fim de semana o horário de funcionamento será das 11 às 15 horas e das 19 horas até o fim dos shows.

A organização espera que mais de 50 mil pessoas visitem o Festival nos quatro dias do evento.

No site do Festival você encontrará os valores para os shows, programação e até receitas de camarão.


Fonte: http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/variedades/noticia/2012/02/13-festival-nacional-do-camarao-tera-shows-de-claudia-leitte-luan-santana-e-cidade-negra-3651472.html

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Crustáceo gigante é encontrado na Nova Zelândia

Olá pessoal, segue matéria que encontrei e compartilho com vocês.


Uma expedição britânica a uma das partes mais profundas do oceano descobriu uma nova espécie de crustáceo enorme e muito parecida com um camarão, segundo informações do jornal Daily Mail desta quinta-feira (2/2). A maioria dos anfípodes, nome dado a esse tipo de animal, tem de 2 a 3 centímetros, enquanto a nova espécie tem 28 centímetros. O supergigante foi encontrado a cerca de seis quilômetros abaixo da superfície do mar, no norte da Nova Zelândia.
Usando câmeras de submersão e uma armadilha de grande porte, a equipe esperava encontrar espécies de um peixe parecido com um caracol, que vivem naquela profundidade. Esses peixes já foram fotografados mas não são vistos desde a década de 1950. “No momento em que os animais capturados subiram ao convés, ficamos eufóricos imaginando que fosse a espécie que queremos encontrar há anos. No entanto, segundos depois, pensei: ‘Que diabos é isso?’ enquanto observava um anfípode muito maior do que eu jamais imaginei ser possível”, disse Alan Jamieson, o líder da expedição.

Os cientistas disseram que o nome “supergigante” foi dado por pesquisadores dos Estados Unidos que encontraram alguns anfípodes grandes, no início de 1980, no Havaí. O anfípode supergigante não tem sido relatado desde então. “É como encontrar uma barata de metros de comprimento”, descreve.
Segundo Jamieson, o mais surpreendente é que ele já havia ido àquele trecho e àquela profundidade duas vezes e nunca tinha se deparado com aquele animal antes. Depois da descoberta, a equipe voltou ao mesmo local, mas não encontrou nada. “Alguns dias depois, implantamos todo o equipamento novamente, no mesmo local, e não conseguimos fotografar ou capturar um supergigante sequer. É como se eles estivessem lá em um dia e fossem embora no outro”.

O grupo de pesquisadores disse que esses anfípodes são a maior espécie já encontrada e que nunca foram vistos em tal profundidade. O objetivo agora é descobrir se o supergigante pertence à mesma espécie encontrada pelos cientistas dos Estados Unidos, em 1980.
Sete espécies foram capturadas e nove foram fotografadas.
Foto: Reprodução/Daily Mail
(Por Marina Knöbl)

Fonte: http://colunas.globorural.globo.com/planetabicho/2012/02/02/crustaceo-gigante-e-encontrado-na-nova-zelandia/