quinta-feira, 31 de maio de 2012

Tainha - Maneiras para preparar

Olá pessoal!

Hoje vou aproveitar a questão do amigo Pedro de Portugal para relatar algumas maneiras de preparar as tão famosas Tainhas. Confira o comentário dele no link no fim desta postagem.
Primeiro quero dizer ao Pedro que aqui no Brasil, especialmente no estado onde moro, Santa Catarina, existe até a temporada da pesca da Tainha, entre o dia 15 de maio e 31 de julho, onde os pescadores artesanais colocam suas canoas (barcos artesanais) no mar com suas grandes redes para cercar os cardumes de Tainhas, na alta temporada chegam a ser milhares de peixes somando várias toneladas em um único cerco.

Então vamos lá, o Pedro já citou em seu comentário algumas maneiras,como fritar em posta com farinha e também a sopa de peixe, acredito eu que seja o nosso conhecido caldo de peixe, lá vai:
Tainha frita em posta

Com farinha - cortar em postas, dois dedos aprox., temperar com sal e limão, se quiser pode colocar pimenta moída que também fica boa, passar na farinha de trigo ou de milho e depois é só fritar;
Sem farinha - cortar em postas, dois dedos aprox., tempera com sal e limão, pimenta moída é opcional, depois é só fritar;

Tainha escalada, grelhada e recheada
Para estas receitas, o peixe é aberto por completo pela frente continuando o corte a partir da barriga ou então é feito um único corte pelas costas do peixe, por onde também será limpo. Será assado na churrasqueira em uma grelha, preferencialmente a de peixe para facilitar na hora de virar e assar ambos os lados (foto abaixo). Outro detalhe, retirar a cabeça é opção de quem prepara, prefiro deixar a cabeça pois tem bastante carne.


Escalada - a partir do corte escolhido, tempere com sal, limão, coloque rodelas de cebola e de tomate, alecrim é opcional, coloque-a inteira na grelha e é só assar. Para mais detalhes da receita e Tainha escalada clique aqui, é uma postagem que fiz há um tempo.
Grelhada - após escalar o peixe e temperar, feche-o e asse inteiro na grelha.

Recheada - esta receita em especial exige que o peixe tenha sido aberto pelas costas, caso contrário terá que ser costurado. Os recheios variam conforme o gosto de cada um, costumo colocar apenas cebola, tomate e pimentão picados, mas é possível incrementar colocando camarão, lula, marisco, entre outros. Coloque o recheio no espaço da barriga do peixe, feche-o e asse inteiro.
Comentários com outras formas de preparar, clique aqui.

Com certeza existem muitas maneiras para preparar a Tainha, assim como temperos variados. Comente sua sugestão.
Obrigado pela visita e até a próxima.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Pescaria - Ponte Hercílio Luz

Olá pessoal!

Passado algum tempo sem ir pescar, fui molhar as linhas e estrear um equipamento novo que adquiri dias atrás (vara e linha multifilamento). Por falta de tempo, o destino foi a Ponte Hercílio Luz.

Fiquei aproximadamente 2 horas sem pegar nada com o anzol grande, as isca serviam apenas para tratar os peixes pequenos e a idéia de ir embora já estava na cabeça quando peguei um pequeno peixe Aipim, soltei-o e pensei, vou diminuir o anzol e ver no que dá. Bom, chega de escrever e vamos aos fatos quer dizer as fotos.

Siri

Cocoroca

Peixe Aipim


Em resumo foram 3 siris pegos e soltos, 11 Cocorocas e 3 peixes Aipim que apesar do tamanho já são grandes pois não crescem muito. Pescaria é assim, quando pensamos que está tudo acabado, o peixe resolve bater e ir pro balde. São pequenos sim, mas juntos renderão um bom frito.
Abraços e até a próxima.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Pesca da Tainha 2012 - Olheiros têm papel importante na captura da tainha

Na Barra da Lagoa, Leste da Ilha de Santa Catarina (Florianópolis), a dupla observa o mar no alto do morro

Clicrbs
Seo Diquinho é pescador, mas há 25 anos não entra no mar. Não empurra o barco, nem cerca o cardume. Também não ajuda a puxar a rede e a contar os peixes. No ritual da pesca da tainha, Seo Diquinho, 67 anos, usa os olhos. São eles que, atentos e experientes, observam o mar e são capazes de identificar as inconfundíveis manchas na imensidão das águas. E quando as vê, a busca se transforma em gritos: "vem vindo tainha aí, minha gente!".

Adir João Lemos, esse é o nome dele, é olheiro. E todo o ritual da pesca da tainha começa com um olheiro. Seu Diquinho se posiciona no alto do Morro da Barra da Lagoa, lá onde a cruz abençoa a comunidade.

Barcos vão pra água após o sinal

E é ao sinal dele que, na praia, os pescadores sabem que chegou a hora de jogar os barcos na água. Seo Diquinho olha tudo lá do alto. Nem sequer participa da "bagunça":

— A gente só fica olhando daqui. Não dá para ir lá. Pode vir mais atrás, né?

Ele só sai de lá para almoçar. Segue a trilha e caminha até o rancho, onde é preparada a comida. Mas não deixa o posto sozinho, nunca. Reveza o tempo de almoço com José Vieira, 63 anos. José também é pescador, mas pela primeira vez está lá, como olheiro. Trabalhou 30 anos em barcos de caça de malha, mas cansou. Agora quer uma vida mais calma, em terra.

Trabalho puxado de todos

O trabalho do olheiro começa cedo. Às 6h, quando ainda é escuro, Seo Diquinho e José já estão lá, a postos. Debaixo do braço trazem casacos, guarda-chuva, lanterna e comida - geralmente pão, bolo e café com leite. Ficam lá o dia inteiro e só vão embora quando voltar a escurecer.

São horas e horas de observação do mar. Seo Diquinho olhando para o Norte, José para o Sul. Peixe não tem destino, por isso. Ficam de olho na mancha que, algumas vezes, é mais avermelhada e, outras, de um amarelão forte.

— A gente vem todos os dias, faça chuva, faça sol, esteja frio, esteja quente. Venho até quando estou com gripão. É a vida de pescador, né? Peixe não avisa quando passa.

Histórias para passar o tempo

Seo Diquinho é daqueles que gostam de contar histórias. Suas preferidas são as de fantasmas e de causos que ele viu ou ouviu há muitos anos. A sorte de Seo Diquinho é de ter um bom ouvinte. Tudo o que ele tem de conversador, seu José tem de quieto.

— Sabe feiticeira? Ela existe. E sabe lobisomen? Também.

Ele é olheiro há 25 anos e já passou pelo Gravatá e pela Galheta. Gosta tanto do que faz que, agora, só trabalha em época de tainha:

— Às vezes elas vêm pulando. É lindo de ver!

Fonte: http://diariocatarinense.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2012/05/olheiros-tem-papel-importante-na-captura-da-tainha-3762298.html

terça-feira, 15 de maio de 2012

Pesca da Tainha 2012 - Primeiros Lanços

A maior pescaria foi na Praia do Gravatá, no Leste da Ilha de SC.

Clicrbs
A festa dos pescadores no Leste da Ilha de Santa Catarina ao recolher as redes, na manhã desta terça-feira, começou cedo. Por volta das 6h30min pescadores da praia do Gravatá com canoa a remo cercaram um cardume de tainha. Aproximadamente 1,1 mil peixes foram capturados, mas somados a outros dois lanços, o total deve chegar perto de 2 toneladas.

Os pescadores monitoravam desde a tarde de segunda-feira. O mestre Dedé, que pesca desde os sete anos, acredita que isso é um bom sinal para o começo da safra.

— Começamos com o pé direito e agora saímos daqui só quando a safra terminar.

Na pedra, o cozinheiro do barracão preparava o almoço, que é claro, será tainha.

Na Praia do Gravatá, que fica ao Sul da badalada Mole, havia peixe amontoado sobre a areia pelos pescadores e que será vendido até chegar à mesa dos apreciadores da tainha.

Outros dois lanços também pegaram cerca de 500 tainhas em Ingleses e outras 200 na Barra da Lagoa. Juntas, as pescarias rendem quase duas toneladas de pescado em um único dia.


Temporada 2012 da pesca artesanal da Tainha

Olá pessoal!

As pescarias estão fracas, por isso quase não estou atualizando o blog. No entanto, venho informar que hoje, dia 15/05/2012 inicia a temporada de pesca artesanal da Tainha e assim como ano passado, estarei compartilhando com vocês as notícias sobre as capturas deste belo e apetitoso peixe.

Google
Quem sabe este ano consigo presenciar a puxada da rede com as Tainhas e é claro, compartilharei com vocês.

Grande abraço e que venham as Tainhas.