segunda-feira, 9 de junho de 2014

Pesca e a tradição açoriana reinam na Barra do Aririú - Palhoça/SC

Olá pessoal!

Hoje trago uma matéria feita por Marciano Diogo, publicada no jornal Notícias do Dia em 08/06/2014.

Localidade fica longe dos olhares turísticos, mas conta com paisagens naturais peculiares

Em meados do século 19 chegavam os primeiros moradores açorianos na Barra do Aririú, entre eles o Tomé de Souza, que deu o então nome da Praia e Ponta do Tomé, hoje um dos pontos mais conhecidos do bairro. Na década de 40, o bairro já contava com uma comunidade formada, com mais de 120 famílias residentes. Atualmente, a Barra do Aririú tem mais de seis mil eleitores ativos e cerca de 10 mil habitantes, porém mesmo com o crescimento exponencial dos últimos anos, a cultura açoriana ainda está viva na localidade.

Foto: Flávio Tin/ND
A Barra do Aririú é um dos bairros mais antigos de Palhoça e fica longe dos olhares turísticos, mas conta com paisagens naturais bem particulares. Entre esses pontos de belezas admiráveis está o Aterro da Praia da Barra do Aririú, onde diversos pescadores ainda mantem a herança cultural transmitida de geração em geração nos ranchos de pesca. “O bairro ainda conta com muitos trabalhadores que dependem exclusivamente da pesca, o mercado ainda resiste. No passado a base era da pesca e frutos do mar, mas atualmente a economia do bairro já depende das indústrias e dos centros administrativos da região, que emprega grande parte de nossos moradores”, afirmou o historiador Marcos João de Matos.

Conforme o historiador, as tradições açorianas do bairro tem se perdido pelas próprias oportunidades sociais oferecidas. “Com incentivo, os filhos já não querem mais seguir a profissão dos pais. Portanto são poucos que ainda são pescadores”, afirmou Matos, que é natural da Barra e também é autor do livro “Barra do Aririú como você nunca viu”.

De acordo com a Associação dos Pescadores da Barra do Aririú, cerca de 60 pescadores ainda dependem exclusivamente da pesca no bairro. “Contamos com mais de 200 trabalhadores registrados, mas somente parte deles depende exclusivamente do mar financeiramente”, relatou César Carlos Espíndola, presidente da associação. “Gosto do meu trabalho porque tenho uma autonomia maior, sem contar que trabalhar em uma área aberta em um paraíso como este, é para poucos”, brincou Adriano Martins, 24 anos, que também é filho de pescador.

A cultura açoriana do bairro também é repassada pelas poucas rendeiras de bilro que ainda restam em meio à expansão urbana de Palhoça. “É muito bom morar aqui porque é um bairro bem tranquilo, de convivência saudável”, contou Rosa Isolina Moreira, que é rendeira há mais de 60 anos e mãe de três filhos, todos nascidos na Barra do Aririú. “Enquanto Deus me der saúde, vou continuar fazendo renda de bilro”, confirmou a moradora.

Foto: Flávio Tin/ND
Investimentos e infraestrutura

A Barra do Aririú é dividida em seis localidades: Vila Nova, Pedregal, Ponto Final da Barra, Ponta do Tomé, Laranjeiras e Areias. Partes dos moradores da Barra confirmam que o bairro ainda carece de infraestrutura. “Somos um bairro bem tradicional, mas comunidade ainda precisa se unir mais para requerermos mais oportunidades para nossos jovens. Ainda precisamos de muita infraestrutura, espaços públicos para o lazer, onde a comunidade possa confraternizar”, afirmou Vanderlei Santana, presidente do Conselho Comunitário de São Tomé, que abrange o bairro Barra do Aririú. Vanderlei também é criador do projeto ‘ReAção nos bairros’, que leva mais de 200 jovens a praticarem esportes.

Diante da demanda provocada pelo crescimento do número de moradores, um posto de saúde está sendo construído no bairro. De acordo com a Prefeitura de Palhoça, a previsão é que a unidade esteja pronta no primeiro semestre de 2015. “Também iniciaremos a pavimentação asfáltica de todo o centrinho do bairro, ainda este ano”, afirmou o prefeito Camilo Martins.

A prefeitura do município também confirma que existe um projeto de revitalização do Aterro da Praia da Barra do Aririú. “Iremos humanizar a área, com a construção adequada de um passeio mais urbanizado. O projeto está pronto, só estamos fazendo algumas adequações e ainda precisamos da licitação. Mas garanto que as obras de revitalização da área iniciarão ainda este ano”, garantiu Camilo Martins.

Foto: Flávio Tin/ND
Desassoreamento do canal

O Rio Aririú, que deu o nome a Barra, tem nove quilômetros de extensão e passa por sete comunidades ribeirinhas até chegar ao mar. O processo de desassoreamento do canal que dá a Foz do Rio Aririú acesso para o mar iniciou em 2012 e deve finalizar completamente este ano, de acordo com a Prefeitura de Palhoça. Ainda em 2012 foi feita a dragagem da passagem, mas o processo não desassoreou completamente o canal de acesso ao mar. Na situação, foram investidos mais de R$ 300 mil e o trabalho não foi finalizado.

Diante da falta de navegabilidade que impedia os pescadores fazerem seus trabalhos, em 2013 o processo de desassoreamento foi reiniciado e o canal foi finalmente aberto, possibilitando o trabalho mais completo dos pescadores, que não conseguiam passar com as embarcações pela área para chegar até os ranchos de pesca. “Agora sim podemos fazer nosso trabalho com tranquilidade, a situação está bem melhor”, concluiu César Carlos Espíndola, presidente da Associação de Pescadores da Barra do Aririú.

Fonte: http://ndonline.com.br/florianopolis/noticias/172690-barra-do-aririu.html

Já visitou este local? Comente!

Até a próxima.

Nenhum comentário:

Postar um comentário