sexta-feira, 25 de julho de 2014

Peixe: um rico alimento - Na hora de comprar (Parte 2 de 4)

Olá pessoal!

Segue a segunda parte da matéria Peixe: um rico alimento.


A indústria de alimento oferece cada vez mais opções de alimentos congelados e semiprontos. Apesar do avanço tecnológico, no que diz respeito à conservação dos alimentos, na hora de comprar peixe, a atenção com a qualidade deve ser redobrada. "Esse é um produto de origem animal que se deteriora com muita facilidade", lembra a nutricionista.

Por isso, é importante ficar de olhos abertos e atentos a algumas características que ajudam a perceber se o peixe está fresco ou não.
Odor: Quando fresco, o peixe cheira a maresia.

Corpo: Deve ser firme e brilhante. Quando está passando do ponto, a carne fica flácida. Faça o teste: pressione o peixe com os dedos. Se não ficarem marcas, significa que o peixe é fresco.

Olhos: Devem ser salientes, a córnea transparente e a pupila negra e brilhante.

Pele: Observe se está brilhante e com as escamas bem aderidas ao corpo. A cor da pele deve ser viva, homogênea e com alguns reflexos.

Membrana: É a pele interior que cobre a barriga do peixe e que deve aderir completamente à carne. Quando o peixe não está próprio para consumo, esta membrana é separada da carne.

O ideal é comprar o peixe inteiro. Não é aconselhável comprar peixes já cortados.
Fonte: http://www.einstein.br/einstein-saude/nutricao/Paginas/peixe-no-cardapio.aspx

Parte 1: Peixe: um rico alimento
Parte 3: Do fundo do mar ou do rio?
Parte 4: Mitos e Verdades

Nenhum comentário:

Postar um comentário