terça-feira, 18 de novembro de 2014

Grupos dos Pescadores da Grande Florianópolis

Olá pessoal!

Venho divulgar o grupo dos Pescadores da Grande Florianópolis, criado para divulgarmos nossas pescarias e locais de pesca. Ah, e como não pode faltar quando se fala em pescaria, fazer novas amizades.

Parabéns pela inicitiva Rafael.

Pescadores da Grande Florianópolis

Junte-se ao grupo!

Abraços e até mais.

segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Pescaria nas pontes e Coqueiros

Olá pessoal!

Depois de algum tempo sem molhar as linhas, consegui uma folga e me reuni com o Lucas pra dar algumas linhadas e jogar conversa fora.

Na real, acho que não vou mais levá-lo junto, os peixes só iam em suas iscas, kkkk. Pescaria é assim mesmo, o importante são as risadas. Grande pescador de Bagre e Baiacu, hehehe



Como só ele fisgava, preferi fazer uma pescaria nas pedras e olha o que encontrei, cinco chumbos.


No início da manhã o tempo estava fechado, por isso, preferimos ficar próximo das pontes para se proteger. No fim, abriu altos sol que exigiu até protetor solar.

Nada de interessante estava fisgando, então fomos para Coqueiros tentar a sorte novamente. E acertamos!







Por fim, foram capturados 11 Canguás. Dois logo após registrarmos a foto acima. Os Bagres, Baiacus e Cobras foram soltos.

Abraços e até a próxima.

sábado, 1 de novembro de 2014

Por presença de toxina, comercialização de ostra fica suspensa em praias de Governador Celso Ramos e Palhoça

Olá pessoal!

Segue abaixo matéria divulgada pelo Hora de Santa Catarina, referente a Ostras contaminadas em Gov. Celso Ramos e Palhoça.

Foto: Petra Mafalda
"Após 15 dias sem aparecer nas análises da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, a toxina diarreica (DSP) foi encontrada nesta sexta-feira nas localidades de Ganchos de Fora, Ganchos do Meio e Calhieros, no município de Governador Celso Ramos, e da Praia do Cedro em Palhoça. Portanto, a retirada, comercialização e consumo de ostras, vieiras, mexilhões e berbigões cultivados nestas áreas estão suspensas até a redução do índice da toxina. 


Segundo assessoria da Secretaria de Estado da Agricultura e da Pesca, a liberação das localidades interditadas acontecerá após dois exames laboratoriais consecutivos com laudos negativos quanto a presença da substância. A toxina foi encontrada pela primeira vez no Litoral de Santa Catarina em 22 de agosto deste ano e desde então a Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc) vêm monitorando e interditando as localidades contaminadas. 

Risco de Intoxicação

A toxina diarreica é produzida por algumas espécies de microalgas que vivem na água, chamadas de Dinophysis, e quando acumuladas por organismos filtradores, como ostras e mexilhões, podem causar um quadro de intoxicação nos consumidores. Uma das explicações para o fenômeno são as condições ambientais favoráveis para a proliferação dessas algas: maior incidência solar, pouca agitação marinha e baixa salinidade da água do mar.

Os exames são realizados pelo Laboratório Oficial de Análise de Resíduos e Contaminantes em Recursos Pesqueiros - LAQUA-Itajaí-IFSC, a partir de amostras colhidas pela Cidasc. Apesar da desinterdição do litoral catarinense, a Cidasc continuará coletando amostras para monitorar a presença da toxina diarreica na água e nos moluscos bivalves.

Fonte: http://horadesantacatarina.clicrbs.com.br/sc/geral/noticia/2014/10/por-presenca-de-toxina-comercializacao-de-ostra-fica-suspensa-em-praias-de-governador-celso-ramos-e-palhoca-4633162.html